Tero Queiroz | 30 de novembro de 2018 - 08h43

Gaeco deflagra nova Operação contra fraudes em compras de equipamentos para Hospital

Equipe esteve na casa do diretor-presidente do Hospital Regional de Campo Grande

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul deflagrou hoje, sexta-feira (30) a Operação Reagente, que visa cumprir três mandados de prisão preventiva e outras 14 buscas e apreensão de pessoas ligadas a esquema de corrupção ativa e passiva, bem como fraudes em licitações de equipamentos médicos.

Com apoio do Batalhão de Choque da PM (Polícia Militar), o Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) faz buscas na casa do diretor-presidente do Hospital Regional, Justiniano Vavas.


Momento em que Justiano Vargas foi levado pela equipe de polícia. Foto: Print/Vídeo/Campo Grande News

De acordo com as investigações, as licitações fraudadas seriam para compra de equipamentos para o Hospital Regional em Campo Grande. De acordo com o site Correio do Estado, Carlos Eduardo Girão de Arruda, da Controladoria-Geral do Estado, acompanha as ações. 

Nesta mesma semana, o Gaeco havia realizado a Operação Convite, deflagrada na última quarta-feira, para desarticular esquema de empresas que negociavam aprovações para vencerem licitações de concursos públicos em cidades do interior do estado.

Na ação, foram expedidos oito mandado de busca e apreensão na Capital, na sede da Sigma Assessoria em Gestão Pública e Idagem Assessoria e Consultoria ME, bem como nas residências dos proprietários das empresas acusadas de ligação no esquema fraudulento.

As investigações apontaram que a Sigma e a Idagem entabulam a participação nas diversas licitações, fazendo com que os convites sejam sempre direcionados a elas, contando com envolvimento de agentes públicos, formulando propostas em conjunto, inclusive com acerto de qual delas será vencedora. Em contrapartida, fraudam o processo seletivo, garantindo aprovação de candidatos previamente identificados.

*Com informações do Correio do Estado e Campo Grande News. 

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews