Paulo Yafusso | 4 de julho de 2018 - 07h23

Governo e Prefeitura garantem moradia digna e qualificação a moradores da aldeia Água Bonita

Índios da aldeia urbana Água Bonita vão ganhar moradia digna construída pelos próprios moradores da comunidade, que passarão por um curso de qualificação. Isso graças ao convênio assinado na tarde desta terça-feira (3.7), na Governadoria, entre o Governo do Estado e a Prefeitura da Capital. As casas serão construídas pelo Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), do Governo Federal.

Conforme o convênio assinado pelo governador Reinaldo Azambuja e o prefeito da Capital, Marquinhos Trad, a Fundação Social do Trabalho (Funsat) vai ministrar o curso de qualificação dos indígenas e o Estado vai fornecer os equipamentos de segurança individual. Os indígenas selecionados receberão um salário mínimo e bolsa alimentação. A Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab) vai entrar com contrapartida de R$ 670.549,50 e a Prefeitura deverá aplicar cerca de R$ 650 mil no projeto, de acordo com Marquinhos Trad.

Os participantes do curso, que terá duração de 12 meses,  trabalharão na construção de 80 casas do PNHR, viabilizadas pela Agehab nesta primeira etapa dos trabalhos. “Nossa meta é chegar as 135 moradias”, afirmou a diretora-presidente da Agehab, Maria do Carmo Avesani. “O importante é que a gente foi encontrar uma solução para dar moradia digna aos moradores da Água Bonita, e isso só foi possível com essa parceria com a Prefeitura e o Governo Federal que já nos viabilizou essas 80 moradias”, afirmou o governador. Durante a solenidade, Reinaldo Azambuja destacou também a importância da participação dos deputados e vereadores na viabilização desse projeto. “A gente fica feliz em ver que com essa parceria os moradores da Água Bonita vão receber habitação própria e regularizada”, destacou.

Marquinhos Trad lembrou que as condições econômicas atuais do País impõem dificuldades a todos e essa articulação da Prefeitura com o Governo do Estado é que tem permitido assegurar a melhoria das condições de vida de famílias que vivem em situação crítica. “É um exemplo nacional”, disse o prefeito da Capital, ao falar também sobre a parceria entre Estado e Município para atender as famílias que viviam em situação de vulnerabilidade na Cidade de Deus e Bom Retiro, onde o poder público estadual e municipal viabilizaram terreno e recurso e os próprios moradores estão construindo as casas onde vão morar, a exemplo do que será feito na aldeia Água Bonita.

Maria do Carmo Avesani contou que a assinatura do convênio marca a conclusão da primeira etapa de um processo que começou em 2015, no início da atual administração estadual. “Me emociona esse momento ao lembrar que em 2015, quando estivemos na aldeia, as famílias viviam em condições precárias e desumanas e hoje estamos viabilizando moradia e qualificação a esses moradores”, destacou a diretora-presidente da Agehab.O professor Sander Barbosa mora na aldeia Água Bonita e é uma das lideranças da comunidade. Segundo ele, hoje cerca de 140 famílias de índios vivem no local em barracos de lona e em condições precárias. “Para nós hoje o momento é de tranquilidade, a comunidade está satisfeita. Para nós é uma conquista grande, principalmente na geração de renda”, disse ele, ao se referir também a qualificação profissional.

Participaram da solenidade de assinatura do convênio também os secretários estaduais Carlos Alberto de Assis (Administração e Desburocratização), Helianey Paulo da Silva (Infraestrutura), Athayde Nery (Cultura e Cidadania), Silvana Terena (Políticas Públicas para População Indígena), Antonio Lacerda (secretário municipal de Governo e Relações Institucionais) os deputados estaduais Rinaldo Modesto, João Grandão, Zé Teixeira, Maurício Picarelli; os vereadores André Salineiro, delegado Wellington, João César Matogrosso, Lucas de Lima, Carlão e Willian Macskoud.  

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews