Globo Esporte | 16 de outubro de 2018 - 15h47

Convocação militar surpresa tira 55 jogadores de clubes da elite do futebol chinês

Uma convocação inesperada causou polêmica entre os clubes da China. Mas não de uma seleção nacional. Mas, sim, do governo local. 55 jogadores de clubes que estão na reta final do Campeonato Chinês foram convocados para um período de treino militar. Não houve aviso prévio ou conversa: os atletas, todos com menos de 25 anos, foram escolhidos e, caso não aceitassem, seriam suspensos.

A emissora estatal CCTV disponibilizou imagens dos jogadores assistindo partidas de futebol, mas vestidos com uniformes militares, tendo os cabelos raspados e recebendo treinamentos militares.

O período de treinamentos na cidade chinesa de Shandong começou no início de outubro e vai até o dia 28 de dezembro. Desse modo, muitos clubes serão prejudicados, uma vez que faltam apenas cinco rodadas para o término da liga local.

Entre esses times, estão o Guangzhou Evergrande, atual heptacampeão nacional e vice-líder na atual temporada, que perdeu cinco jogadores. Na briga por vaga na Liga dos Campeões Asiática, o Shandong Lunneng cedeu cinco atletas.

Segundo a federação chinesa, a ideia é evoluir os jogadores e melhorar o nível de treinamento para beneficiar a seleção do país. No entanto, o primeiro mês de treinamento será só dedicado a situações militares. Campo e bola, só a um mês do término da convocação.

De acordo com rumores, a ideia da federação é formar dois times que disputariam jogos na liga local e em campeonatos do leste europeu.

Mas seja qual for a motivação, a medida revoltou a imprensa esportiva local.

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews