Versão para DesktopMS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS
TERO QUEIROZ | 13 de maio de 2020 - 12h26

Terroristas fingem ser policias, entram em maternidade e matam dois bebês e 12 mães

O ataque aconteceu na maternidade do hospital Dasht-e-Barchi, que é gerido pelo organização dos Médicos Sem Fronteiras

Três terroristas, supostamente ligados ao Estado Islâmico, atacaram uma maternidade na capital do Afeganistão e mataram dois bebês recém-nascidos e 12 mulheres nesta terça-feira (12.maio), ao menos 37 mortos em dois ataques aconteceram, um deles em um hospital em Cabul, e outro, durante um funeral no leste do país.

O ataque aconteceu na maternidade do hospital Dasht-e-Barchi, que é gerido pelo organização dos Médicos Sem Fronteiras. Os terroristas entraram no hospital vestidos de polícias. 

Pelo menos 80 pessoas tiveram de ser retiradas do local na sequência do ataque. E mais de 100 funcionários viram-se encurralados nas instalações.

Este ataque aconteceu no mesmo dia em que um homem bomba se explodiu durante a cerimônia fúnebre de um comandante da polícia na província de Nangarhar, no Afeganistão. Na ocasião, morreram 24 pessoas e 68 ficaram feridos. O ataque também foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

O presidente afegão, Ashraf Ghani, reagiu ao ocorrido anunciando que as forças do governo retomarão a ofensiva contra os talibãs.

"Ordeno as forças de segurança a interromper sua atitude de defesa ativa e voltem a adotar uma atitude ofensiva, e retomem as operações contra o inimigo", declarou Ghani.

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borell, manifestou sua indignação diante do "grau desumano máximo" dos atentados.

Vale lembrar que o Estado Islâmico reivindicou uma série de ataques em Cabul nos últimos meses. 

Imagens do ataque de ontem foram registradas pela Reuters e mostram o momento em que vários bebês são retirados do hospital. Há também imagens de bebês sendo cuidados por enfermeiras, depois de as suas mães terem perdido a vida no ataque.

 
Subir ao TopoSubir ao TopoVoltarVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews