Redação Nova News | 12 de janeiro de 2018 - 15h04

Vereador precisou solicitar apoio policial para vistoriar órgão público

Germino Roz (PR) teria sido barrado ao tentar visitar a marcenaria pertencente ao município

No início da tarde desta sexta-feira (12), o vereador Germino Roz (PR) precisou solicitar apoio da Polícia Militar para conseguir vistoriar um órgão público no município de Batayporã. O edil teria sido impedido de entrar na marcenaria municipal, que funciona de forma anexa à fábrica de tubos, na região central da cidade.

Ao Nova News, Roz explicou que, desde que assumiu como vereador, na qualidade de fiscalizador e de representante da população, costuma visitar os órgãos públicos como postos de saúde, escolas municipais e demais repartições para obter informações sobre o andamento dos trabalhos.Nesta sexta-feira (12), o vereador decidiu ir até a fábrica de tubos, onde também funciona a marcenaria municipal com objetivo de verificar o estado de conservação das máquinas e das ferramentas existente no local, no entanto, o membro do Poder Legislativo teria sido barrado pelo servidor que responde pelo setor.

Segundo Germino, o funcionário disse ter recebido orientação superior de não abrir a marcenaria caso o vereador fosse até lá. Quando o vereador explicou que, na qualidade de fiscalizador, ele tem direito de entrar nas repartições e verificar o andamento dos serviços, o funcionário teria argumentado que não abriria as portas, dizendo que estava apenas cumprindo ordens.

O responsável teria dito que, se o vereador quisesse entrar no local teria que, primeiramente comparecer na Prefeitura Municipal e agendar a visita para uma data futura o que, segundo o vereador, não é o procedimento correto.

Para ter seu direito respeitado, Germino Roz acionou uma equipe da Polícia Militar que disse ao servidor que, se as portas não fossem abertas, a guarnição teria que usar dos meios legais disponíveis para fazer valer o direito do vereador. Após fazer algumas ligações telefônicas, o responsável pela fábrica de tubos abriu o local e o vereador pôde fazer a inspeção que desejava.

Nas palavras de Germino, a atitude do servidor o deixou surpreso, uma vez que, em seu entendimento, por se tratar de uma repartição pública, um vereador têm direito de vistoriar o local sem impedimentos e mais ainda sem precisar mobilizar as forças policiais.

Outro lado

Em contato com o prefeito Jorge Takahashi (PMDB), o chefe do Poder Executivo Municipal disse que tal ordem não partiu dele, que entende que um órgão público deve estar sempre de portas abertas no caso de vistorias e fiscalizações e que, considera que o vereador estava dentro de seus plenos direitos. À reportagem, o gestor afirmou que vai apurar o episódio. 

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews