MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS
Iniciativa de Chicão visa fazer com que Corumbá obtenha o reconhecimento como área livre da doença sem vacinação
TERO QUEIROZ | 2 de abril de 2019 - 11h15

Com município livre da aftosa, vereador pede suspensão de vacinação para 2020

Paraná já obteve resposta positiva à mesma solicitação

O vereador Chicão Vianna (SD), pediu nesta segunda-feira (1º), a antecipação da suspensão da campanha de vacinação dos rebanhos bovino e bubalino contra febre aftosa para o ano de 2020. Isso, para que, o município de Corumbá seja reconhecido pela Organização Mundial de Sanidade Animal (OIE), como área livre da doença sem vacinação.  

Conforme Vianna, o interesse é fazer com que as autoridades competentes antecipem para o biênio 2019/2020, a retirada da vacinação contra a doença contida no Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), nessa região pantaneira.

Segundo o vereador corumbaense, ao fazer o pedido, considerou o fato do Paraná, estado que integra o mesmo bloco do Mato Grosso do Sul no Plano Estratégico, 'o V', juntamente com Rio Grande do Sul e Santa Catarina, cuja previsão para retirada da vacina é a partir de 2021, conferindo o status como livre de aftosa.

“O Paraná conseguiu junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), antecipar para 2019 a retirada da vacinação. Estamos no mesmo bloco e vamos buscar também a antecipação para o biênio 2019/2020, que será de extrema importância para a nossa região, já que o status livre de aftosa representa uma ordem significativa de incremento financeiro”, explicou.

Vianna disse ainda que, no caso do Paraná, a antecipação representará inúmeros benefícios. Conforme estudos técnicos, a carne suína exportada, por exemplo, dobrará das atuais 107 mil toneladas para 200 mil toneladas por ano. As carnes bovinas e ovinas terão o incremento de no mínimo 60 %, conforme destaca a matéria publicada no dia 21 deste mês, no site da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná.

Ressalta também que, com a antecipação do processo, a última campanha de vacinação no Paraná será em maio, para animais jovens de zero a 24 meses.

Finalizada a campanha de vacinação, serão fechadas as fronteiras interestaduais com os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, impedindo a entrada de animais vacinados para o território paranaense. O Ministério deverá editar uma Instrução Normativa impedindo o trânsito de cargas vivas para o Paraná, preservando o território estadual.

Chicão acrescenta que, diante dessa situação, “é de extrema relevância o Mato Grosso do Sul antecipar a aplicabilidade do PNEFA, proporcionando tanto aos produtores do Município de Corumbá quanto ao Estado de Mato Grosso do Sul, não somente a garantia de incrementos financeiros, mas a segurança de possuir o status livre de aftosa”.

Lembra ainda que, “Corumbá, por ser o maior produtor de gado de Mato Grosso do Sul, com mais de um milhão de cabeças, merece maior atenção nesse processo, que trará benefícios para todo o Estado, aumentando assim a produção e impulsionando a economia no setor”, completou.

O requerimento do vereador corumbaense está direcionado à ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, com cópia ao secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Correa Riedel; para o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Elias Verruck, e ao diretor-presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO), Luciano Chiochetta.

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews