12 de Janeiro de 2018 - 15h06

PMA autua fazendeiro em R$ 20 mil por erosões e degradação de matas ciliares e assoreamento de córre

Durante vistorias nas propriedades rurais do município, Policiais Militares Ambientais de Rio Negro localizaram ontem (11) em uma fazenda, diversas erosões e outras degradações ambientais, inclusive, em áreas protegidas de preservação permanente (APP). Na propriedade rural, a PMA verificou que o gado era mantido adentrando as matas ciliares de um córrego denominado Água Amarela, afluente do rio Negro, os quais cortam a propriedade.

A falta de conservação do solo na propriedade e o pisoteio dos animais fizeram com que ocorressem diversos processos erosivos e fossem carreados sedimentos, causando assoreamento do córrego e consequentemente do rio Negro. Devido a falta de proteção do solo e das matas ciliares, houve também ainda erosões de grande porte no local e da margem do córrego.

As atividades foram paralisadas. O fazendeiro (95), residente em Corguinho, foi autuado administrativamente e multado em R$ 20.000,00. O autuado também responderá por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente (APP). A pena é de um a três anos de detenção.

O infrator foi notificado a apresentar junto ao órgão Ambiental Estadual um Plano de Recuperação de Área Degradada e Alterada (PRADA).

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews