Tero Queiroz | 1 de novembro de 2018 - 12h12

Operação leva polícia a casa de adolescente que morre em troca de tiros

A operação foi desencadeada em repreensão a um possível ataque contra prédios públicos e policiais

O conjunto de ações de autoridades policiais de Dourados, que resultou na morte de dois criminosos na ‘favelinha’ do Estrela Verá no dia 25 de outubro, teria instigado grupo integrante de facção criminosa a planejar ataques contra prédios públicos e policiais em Dourados, em Mato Grosso do Sul.

De acordo com as autoridades, a informação do palno de atque dos criminosos chegou até os órgãos de segurança pública que desencadearam hoje, quinta-feira (1/11), a Operação Território Livre, que ocorre em bairros da cidade.

Várias pessoas acabaram detidas até o momento, porém, não há informações de flagrante.

No início da manhã de hoje (1º/11), o adolescente Nicolas Magalhães Dauzacker, 17, foi morto no bairro Harrison de Figueiredo após confronto com a polícia. De acordo com a polícia, no momento em que equipe entrou na sua casa, ele começou a disparar, houve troca de tiros e, ferido, o menor morreu a caminho da UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

No dia 25 de outubro, ação envolvendo policiais civis e militares resultou nas mortes de Rodrigo Ferreira Dias, 19, e Arthur Rodrigues Neto, 18, suspeitos de vários assaltos no município, entre eles contra o então candidato ao Senado, Nelsinho Trad (PTB), na noite do dia 28 de setembro.

Os dois eram considerados criminosos de alta periculosidade. A ação ocorreu na favelinha do bairro ‘Estrela Verá’ e na tentativa de abordagem, a dupla se escondeu em uma mata da região e em seguida atirou contra os policiais que revidaram.

Arthur, conhecido como ‘Mizuno’, morava em São Paulo (SP) e estava em Dourados para cometer assaltos. Já Rodrigo residia no mesmo bairro onde ocorreu o fato e possuí várias passagens pela polícia.

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews