MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS
Fachada da Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico
TERO QUEIROZ | 23 de abril de 2019 - 11h36

Mamitaria da Japa entregava drogas ao invés de comida

Quadrilha foi desmantelada na tarde desta segunda-feira (22) na Capital

Elisangela Cristina Negata, de 44 anos, o esposo dela, Edson Yoshio Nagaishi, de 45 anos, o filho do casal, Jorge Luiz Nagata da Silva e ainda José Rodrigues dos Santos Neto, de 21 anos e Jefferson Wiler Alves Biagi, de 24 anos, conhecido como cabecinha, foram presos em flagrante às 13h desta segunda-feira (22), a quadrilha é suspeita de usar uma marmitaria na rua Agostino Bacha, no bairro Jardim monumento, como disfarce para vendas de drogas. 

As investigações são da Delegacia Especializada na Repressão do Narcotráfico (Denar), que iniciou a operação após denúncia anônima realizada em fevereiro, na data, o denunciante informou que um Honda Civic entregava dorgas na 'Marmitaria da Japa', que agia distribuindo drogas no sistema disque entrega, conforme a Denar. 

Cinco pessoas, sendo três da mesma família, foram presas por volta das 13h de ontem (22) por traficar drogas usando uma marmitaria como fachada. O flagrante realizado pela Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) aconteceu na Rua Agostinho Bacha, no Jardim Monumento, localizado na saída para São Paulo, em Campo Grande. 

A droga era transportada dentro de marmitex, os primeiros a serem presos pela polícia foram os entregadores José Rodrigues e Jefferson, na sequência a polícia foi até a marmitaria, lá Elisangela, recebeu os policiais, e questionada, negou a situação, ela também permitiu, segundo os policiais, que fosse realizado buscas no imóvel.  

Ainda segundo os policiais da Denar, ao entrarem no imóvel, Elisangela começou a quebrar objetos no quarto e teve que ser algemada para não se machucar.  

Na casa também o esposo de Elisangela, Edson. Durante buscas na casa os policiais encontram várias porções de maconha e cocaína fracionadas para venda, mesmo assim, o casal disse desconhecer o material e disse que a droga pertencia ao filho, Jorge.  

No entanto, Jorge negou ser dono da droga, com isso, os pais confessaram serem os donos do entorpecentes. Além da droga, cerca de R$ 316, uma balança de precisão, máquina seladora, rolos de insulfilme e faca suja de droga. Em audiência de custódia na delegacia na manhã desta terça-feira (23), a quadrilha teve prisão decretada.  

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews