Tero Queiroz/Com VEJA/AFP/Reuters/EFE | 7 de novembro de 2018 - 11h28

EUA elegem indígenas, muçulmanas e primeiro governador LGBT

A nova-iorquina Alexandria Ocasio-Cortez, democrata latina de 29 anos e que se transformou na congressista mais jovem da história dos Estados Unidos, é um claro símbolo desse avanço

De deputadas indígenas e muçulmanas ao primeiro governador homem abertamente homossexual do país, os Estados Unidos elegeram nesta terça-feira uma série de candidatos que fizeram história por seu pioneirismo.

As eleições de meio de mandato foram marcadas por um número significativo de mulheres, jovens e candidatos de minorias étnicas e sexuais.

O democrata Jared Polis se tornou o primeiro homem abertamente homossexual a governar um estado americano – o Colorado – ao derrotar o republicano Walker Stapleton com 51,6% dos votos.


O governador eleito Jared PolisReuters. Foto: AFP 

A democrata Kate Brown, do Oregon, que se identifica como bissexual, foi a primeira pessoa da comunidade LGBT a se eleger no país, em 2015.

Já as democratas Ilhan Omar, de Minnesota, e Rashida Tlaib, do Michigan, se tornaram as primeiras muçulmanas eleitas para a Câmara dos Deputados. Omar nasceu na Somália em 1981 e também se consagra como a primeira refugiada somali na Casa.

Além disso, em janeiro duas indígenas se sentarão pela primeira vez na Câmara: Deb Haaland (Novo México) e Sharice Davids, que também será a primeira pessoa abertamente LGBT a representar o Kansas no Congresso.

Em Vermont, Christine Hallquist, ex-presidente de uma companhia de energia, fracassou nesta terça-feira em sua tentativa de se tornar a primeira governadora transgênero dos Estados Unidos, ao ser derrotada pelo atual governador, o republicano, Phil Scott.

Recorde de mulheres

No total, ao menos 98 mulheres foram eleitas para a Câmara dos Deputados nesta terça-feira, um recorde nos Estados Unidos. Já para o Senado, foram escolhidas 12 mulheres, de um total de 35 assentos em disputa.

As mulheres, muito críticas ao presidente Donald Trump, impulsionaram principalmente o avanço eleitoral dos democratas, que conseguiram recuperar o controle da Câmara dos Representantes.

A nova-iorquina Alexandria Ocasio-Cortez, democrata latina de 29 anos e que se transformou na congressista mais jovem da história dos Estados Unidos, é um claro símbolo desse avanço.

Resultados

Com algumas disputas ainda não decididas, nas eleições para o Congresso, o Partido Democrata conquistou 222 dos 435 assentos da Câmara dos Deputados. Até agora, foram 23 lugares que antes pertenciam a republicanos e que, nos próximos dois anos, serão controlados pela oposição.

Porém, como já estava previsto, os republicanos conquistaram 51 cadeiras do Senado, mantendo a maioria que já detinha em suas mãos.

Entre os 36 estados onde ocorreram eleições para o governo, os democratas conquistaram 22 vitórias e os republicanos 25. No total, os democratas ganharam ao menos sete estados que estavam nas mãos de republicanos sem sofrerem nenhuma perda em estados que controlavam.

(Com AFP, Reuters e EFE)

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews