Armas e munições foram encontradas por autoridades argentinas em várias casas de Buenos Aires
Marco Antônio Martins, G1 Rio/ Reproduzida por Tero Queiroz | 7 de novembro de 2018 - 10h48

Traficantes brasileiros reunidos teriam comprado arsenal apreendido na Argentina

As armas teriam sido enviadas pelo o homem conhecido como 'senhor das armas'

Força-tarefa de agentes federais dos Estados Unidos, da Argentina e do Brasil investiga uma espécie de 'sindicato' de traficantes de todo o Brasil que encomenda armamento pesado do exterior. O arsenal apreendido no sábado (3) em quatro cidades argentinas foi um desses pedidos.

No estoque retido há um armamento sofisticado, comum nas mãos dos traficantes cariocas, como fuzis AR-15 e AK-47 ou pistolas nove milímetros. Mas há também escopetas que não fazem parte do dia a dia das facções no RJ. Foram encontrados também revólveres.

Ao todo, 620 armas foram apreendidas. Dentre elas:

344 armas longas (fuzis, escopetas e metralhadoras);
276 curtas (pistolas e revólveres);
32.940 projéteis de diversos calibres;

 

Os agentes da Gendarmería Nacional da Argentina e do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos ainda apreenderam US$ 103,9 mil e 127 mil pesos argentinos (R$ 400 mil).

A informação para a atuação da força de segurança argentina chegou através de agentes americanos do escritório de Miami da HSI, braço investigativo do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos responsável por investigar ações criminosas em aeronaves e navios de passageiros, comércio exterior, finanças e imigração.

De acordo com os americanos, há suspeita de outras 52 remessas de armas para a Argentina via Estados Unidos. Um cidadão americano, de nome Michael Nunes, seria o remetente do arsenal. Está se verificando se esse é o nome real do criminoso.

Nas apreensões, os agentes conseguiram encontrar ainda:

2 fuzis M4, de fabricação americana;
3 fuzis M16 e 2 AK-47, de origem russa;
1 submetralhadora MAG, belga.

 

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews