Tero Queiroz | 11 de janeiro de 2018 - 10h07

Humanidade de Trump fala mais alto e lei de imigração é apresentada por republicanos

"Sarah Sanders, expressou o agradecimento de Trump aos legisladores e assegurou que a proposta legislativa "procura cumprir as prioridades do presidente para o povo americano"

Um grupo de legisladores republicanos dos Estados Unidos (EUA) divulgou nessa quarta-feira (10) os detalhes de uma lei de imigração que conta com o apoio do presidente Donald Trump. O projeto propõe dar aos "sonhadores" a possibilidade de residir legalmente no país, embora não abra qualquer caminho para a cidadania.

Os promotores da lei, entre eles Bob Goodlatte e o porto-riquenho Raúl Labrador, apresentaram, em entrevista, seu projeto de lei, que atende aos "quatro pilares" estabelecidos por Trump e um grupo de legisladores na última segunda-feira (8), durante encontro na Casa Branca.

A medida aborda o futuro dos 690 mil jovens que chegaram aos EUA quando eram crianças, conhecidos como "sonhadores", e que se beneficiaram do programa Daca, promulgado em 2012 pelo então presidente Barack Obama e suspenso em setembro do ano passado por Trump.

No momento da suspensão, Trump pediu ao Congresso que esclareça a situação dos "sonhadores" antes de março deste ano.

A iniciativa dos republicanos propõe que os beneficiários do Daca possam acessar uma licença migratória, que lhes permita residir legalmente nos EUA sem serem deportados durante três anos e com a possibilidade de renovar essa autorização indefinidamente. A proposta é parecida com a do Daca.

Dessa forma, o projeto não abre a porta para obter a cidadania americana, um dos pontos-chaves para a oposição democrata.

Em segundo lugar, o projeto destina US$ 30 bilhões para a construção do muro com o México e, além disso, inclui a eliminação da chamada "loteria de vistos", que beneficia anualmente cidadãos de países com baixa taxa de imigrantes para os Estados Unidos.

A iniciativa também procura acabar com os defensores da restrição da imigração legal aos EUA, batizada como "migração em cadeia", ou seja, um sistema que permite a cidadãos americanos e aos que têm green cards (cartão de residência permanente) facilitar a entrada de familiares no país.

Com a proposta, os níveis de imigração para os EUA seriam reduzidos em 25% no total, de acordo com resumo divulgado à imprensa.

Em comunicado, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, expressou o agradecimento de Trump aos legisladores e assegurou que a proposta legislativa "procura cumprir as prioridades do presidente para o povo americano".

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews