MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS
Nicolas Domingos Martins, de 3 anos, é uma das vítimas sob os escombros — Foto: Reprodução
Por Alba Valéria Mendonça, Bom Dia Rio e G1 Rio | 12 de agosto de 2019 - 08h33

Casa desaba em Curicica, na Zona Oeste do Rio

Duas pessoas, uma mãe de 21 anos e o filho, de 3 anos, estão entre os escombros

Uma casa de três andares desabou em Curicica, Zona Oeste do Rio, na manhã desta segunda-feira (12).

 

Por volta das 8h50, os bombeiros já tinham conseguido se comunicar com as duas pessoas que estavam sob os escombros:

Uma jovem de aproximadamente 21 anos, identificada como Raiane Silva Martins;

Raiane Silva Martins, de 21 anos, levava o filho para a escola quando o imóvel desabou — Foto: Reprodução

E o filho dela, um menino de 3 anos, identificado como Nicolas Domingos Martins.

Nicolas Domingos Martins, de 3 anos, é uma das vítimas sob os escombros — Foto: Reprodução

As duas vítimas conversavam com os agentes e davam informações para ajudar no trabalho de resgate. Segundo os bombeiros, a mãe estava em um local de mais fácil acesso para os agentes e, portanto, deveria ser retirada primeiro.

Um balão de oxigênio foi levado pelas equipes para auxiliar nos trabalhos de resgate. Os agentes também retiraram móveis, lama e terra do local para conseguirem acessar as vítimas.

O desabamento

Por volta das 6h40, bombeiros do Quartel de Jacarepaguá foram acionados para o desabamento de um imóvel de três andares na Rua Cordeiro do Rio, em Curicica, na Zona Oeste.

Segundo testemunhas, o pai da criança chegava do trabalho no momento em que o imóvel desabou. A mãe e o menino, que estavam no primeiro piso da casa, se preparavam para ir à escola.

Um dos vizinhos das vítimas, que também teve a casa atingida, Josué da Silva, contou que ouviu os gritos dos moradores no momento do desabamento:

"Quando eu acordei, a geladeira já estava quase caindo em cima de mim. Eu acordei meu irmão, a gente levantou e empurrou a geladeira. Aí eu escutei, do primeiro barraco, a mãe e o filho gritando 'meu filho, meu filho, me ajuda!' e daqui a pouco alguém conseguiu tirar o filho dela. Depois, a gente soube da outra mãe e o filho presos no outro barraco", explica o Josué.

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews