MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS
TERO QUEIROZ | 10 de setembro de 2019 - 07h01

Reforma de R$ 49 milhões pode trazer novas empresas aéreas ao aeródromo de Dourados

Aeroporto passará por reforma e reestruturação e novas empresas já anunciam interesse em atuar na região

Apenas a Azul Companhia Aérea atua no Aeroporto de Dourados, este que está recebendo investimento de R$ 49 milhões do poder público, por meio do Programa de Investimentos de Logística: Aeroportos do Governo Federal, quem paga o montante é a Secretaria de Aviação Civil. Na restruturação estão inclusos melhoramento e ampliação da pista, pátio, terminal, sala de embarque e desembarque e torre de controle. O Aeroporto não ficará inativo durante as obras, que serão realizadas pelo Exército a partir de 2020. Novas companhias aéreas já miram empreender no município.  

Diretores da Associação Comercial e Empresarial de Dourados (Aced), estiveram no Aeroporto avaliando as obras, a convite do diretor aeroportuário, Juliano Almeida Domingos. À eles foram apresentados detalhes sobre as obras e o que será diferente do que já existe. Conforme apresentado aos visitantes esse ano é uma fase de montagem do canteiro de obras, recebimento de materiais e equipamentos e acolhida de militares que trabalharão no empreendimento público. 

Segundo apresentado, as obras devem ter duração de dois anos, nesse período será ampliada a pista de 1950 para 2240 metros de comprimento, saltando de 30 metros de largura para 45 metros. A renovação inclui serviços de taxiways e pátio, partes que serão executadas pelo Exército, já há uma empresa vencedora do processo licitatório aberto pelos militares, essa já trabalha no desenvolvimento do projeto. 

Anterior as atividades da Azul, a empresa que sustentava a pequena pista de embarque e desembarque era a Passaredo, essa já acena que deve voltar a atuar no município, assim que realizados os melhoramentos, além dela a Gol Linhas Aéreas já está na cidade, o que pode gerar melhores preços aos consumidores, com a possibilidade de concorrência. 

Passavam pelo aeródromo do município no ano de 2013 cerca de 63,3 mil, naquela época apenas a Passaredo atuava, no ano seguinte a Azul pousou na grande Dourados e aumentou a circulação para até 100 mil pessoas ao ano, em 2016 a Passaredo deixou o aeródromo, ficando apenas a Azul, o número de usuários voltou a cair para 75 mil, já em 2018 passaram pelo aeródromo apenas 62 mil pessoas, este ano circularam cerca de 50 mil passageiros, segundo a Aced. 

A reestruturação no aeródromo pode trazer ao município de Dourados não só um maior número de voos e possibilidades, mas também a possibilidade do uso dos voos para transporte de cargas, escoamento de produções e rapidez nas entregas de produtos, com o uso das aeronaves. Segundo a representante da Azul Cargo Express [serviço de cargas], Juliana Carvalho Ferreira de Andrade, hoje são enviadas e recebidas somente encomendas de até 60 quilos por volume, que não sejam de cargas perigosas.

De acordo com ela, por falta de estrutura do aeroporto, o serviço não consegue atender a todos os tipos de clientes que o procuram. Para ampliar as atividades, seria necessário um terminal específico para atender cargas; uma secretaria de fazenda para atendimento direcionado ao aeroporto, já que ao entrar na fila com outras transportadoras para fiscalização há demora na liberação de manifestos; além de mais estrutura para receber aeronaves maiores.

“Dourados tem um potencial enorme, é a segunda maior cidade do Estado, polo de uma região que depende dela economicamente, foi destaque nacional em várias publicações pelo crescimento, pelos impostos gerados aqui”, afirma Juliana.

A área do aeroporto é federal, cuja administração está designada à Prefeitura de Dourados que o faz através da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran). Conforme o diretor aeroportuário do órgão, a visita da Aced para conhecer a estrutura é importante, pois mostra o interesse do setor produtivo.

“A importância do comércio em si se envolver, é mostrar para as companhias aéreas a demanda, como a cidade pode crescer em benefício dessas novas companhias e com a reforma do aeroporto”, afirma. Ele ainda lembra que quando uma nova empresa pretende se instalar no município, uma das primeiras avaliações é a estrutura aeroportuária para atendê-la.

“Agradecemos o diretor aeroportuário Juliano Domingos, que se mostrou bastante receptivo e prestativo para dirimir todas as expectativas quanto aos cronogramas, projetos e impactos que trarão ao desenvolvimento da região da Grande Dourados”, afirmou o presidente da Aced, Nilson Aparecido dos Santos.

 

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews