FOLHAPRESS | 10 de outubro de 2018 - 15h19

Para PDT, Bolsonaro não comparecerá a debates por ser 'covarde' e 'fujão'

Carlos Lupi disse que atestado médico de capitão é "desculpa esfarrapada"

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, acusou nesta quarta-feira (10) o candidato a presidente do PSL, Jair Bolsonaro, de se comportar como um “covarde” e um “fujão”.

O presidenciável deve cumprir atestado médico e não comparecer a debates televisivos até o final da próxima semana, entre eles da Rede Bandeirantes e TV Gazeta.

Para Lupi, ele tem utilizado um “atestado ad perpetuam” como “desculpa esfarrapada” para que a população brasileira não conheça sua verdadeira identidade.

“Ele está correndo dos debates e sendo covarde. Não quer apresentar ao povo brasileiro o que pensa. Como haverá uma eleição com dois candidatos se um deles não quer participar do debate?”, questionou.

O dirigente pedetista afirmou ainda que, caso seja eleito, Bolsonaro também poderá utilizar atestado médico para não cumprir obrigações governamentais ou compromissos públicos.

“Virou desculpa esfarrapada e feia. Por que ele pode dar entrevista para a TV Record? É medo, é correr, é fujão”, disse, referindo-se a entrevista concedida por Bolsonaro para a emissora televisiva durante debate eleitoral promovido pela Rede Globo.

“Eu acho que é um erro do médico dar um atestado novo, porque isso pode ser fatal para sua eleição. O povo não gosta de fujão, criticou.

A executiva nacional do PDT se reúne nesta quarta-feira, em Brasília, para anunciar um apoio crítico à candidatura de Fernando Haddad, do PT.

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews