G1 | 8 de novembro de 2018 - 16h19

Caso Daniel: Edison Brittes, suspeito de matar jogador, faz exame no IML de Curitiba

Edison Brittes Júnior, de 38 anos, suspeito de matar o jogador Daniel passou por exame de corpo de delito, nesta quinta-feira (8), no Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba. O exame é de praxe – feito sempre que alguém é preso.

Edison Brittes, a esposa dele Cristiana Brittes, de 35 anos, a filha do casal Allana Brites, de 18 anos, e mais três homens estão presos suspeitos de envolvimento na morte do atleta.

O corpo de Daniel, de 24 anos, foi encontrado em um matagal, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, em 27 de outubro.

O Instituto Médico-Legal (IML) apontou, preliminarmente, a causa da morte como ferimento por arma branca. De acordo com a polícia, o corpo tinha sinais de tortura. O órgão genital do jogador foi cortado.

Edison Brittes está detido na delegacia de São José dos Pinhais. De acordo com o Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen-PR), até as 16h, não havia a previsão para que ele fosse transferido para o sistema penitenciário.

Ele confessou para a polícia ter matado o jogador. Ao ser interrogado, ele alegou ter cometido o crime porque Daniel tentou estuprar Cristiana.

Allana e Cristiana Brittes também fizeram exame de corpo de delito nesta quinta-feira. Logo em seguida, elas, que também estavam na delegacia de São José dos Pinhais, foram levadas para a Penitenciária Feminina de Piraquara, também na Região de Curitiba.

Morte do jogador

Segundo as investigações, o jogador foi morto depois de uma festa em comemoração ao aniversário da filha de Edison, Allana Brittes, que começou em uma casa noturna, em Curitiba, na noite de sexta-feira (26), e terminou na manhã de sábado (27), na casa da família Brittes.

A polícia disse que Daniel começou a ser espancado na casa e, em seguida, foi levado para um matagal, onde o corpo foi encontrado.

O delegado Amadeu Trevisan afirmou que o jogador estava muito embriagado e não teve como reagir às agressões.

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews