Topmidianews | 3 de dezembro de 2018 - 16h40

Cachorro é espancado quase até a morte e envenenado em seguida, dentro de mercado

Animal teria sido morto por um segurança do supermercado a mando do gerente, para “limpar” o mercado que receberia naquele dia visita de executivos da empresa

A rede de supermercados Carrefour está no centro de uma polêmica. Na última quarta-feira (28), um segurança do supermercado teria espancado um cachorro na unidade de Osasco da rede, em São Paulo. A denúncia feita nas redes sociais mostra imagens do animal com as patas traseiras feridas e marcas de sangue no chão da loja.

Defensores dos animais e ativistas dizem ainda que houve tentativa de envenenamento do animal. O cachorro chegou a ser socorrido pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) mas não resistiu ao ferimento e morreu. Uma versão de atropelamento chegou a ser levantada, mas logo foi contestada por outros funcionários que teriam testemunhado o ocorrido e dito que o animal teria sido agredido a pauladas.

Um laudo determinará a causa da morte. O cachorro estava na loja de Osasco havia alguns dias e chegou a receber água e alimentos dos funcionários do local. Ainda de acordo com denúncias nas redes sociais, o segurança da loja teria agredido o cachorro após uma suposta ordem de seu superior para “limpar” o mercado, que receberia naquele dia visita de executivos da empresa.

Segundo denúncia, animal teria sido morto por um segurança do supermercado; Carrefour afasta equipe para investigação. Atuante na causa animal, o delegado Bruno Lima esteve no local e armou que um inquérito vai apurar se o cachorro também foi envenenado e se o segurança que o matou cumpria ordens da chea ou agiu por conta própria.

“Estaremos acompanhando de perto até que esse crime seja solucionado. Temos algumas testemunhas que conrmam o ato cruel e que identicaram o autor do crime. Infelizmente a dor que o animal sofreu não temos como apagar e também a sua vida trazer de volta, mas seremos sua voz e lutaremos em seu nome”, declarou o delegado.

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews