Tero Queiroz | 15 de maio de 2018 - 17h05

Alunos paralizam UEMS por dez dias pedindo igualdade na contratação de professores

"Foi decidido por paralização, até atenderem essa necessidade do curso"

Alunos da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), dos cursos de Artes Cênicas, Letras, Pedagogia e Geografia, realizam manifesto nesta tarde de terça-feira (15/05), pedindo a preservação dos direitos iguais aos cursos e a abertura de edital público para contratação de professores efetivos, “Precisamos de professores, eles abrem edital apenas para um curso e nós corremos risco de desmonte do nosso curso, por falta de professores”, disse um dos alunos que participa do manifesto. Os alunos votaram ao final do manifesto por paralização de dez dias, após concluírem que a postura da pró-reitoria da UEMS foi tendenciosa ao privilegiar a contratação de professores o curso de Medicina. 

"Os pedidos de professores efetivos vem desde do ano de 2016 de todos os cursos, entendendo que todos os quatro cursos em questão (Artes Cênicas, Geografia, Letras e Medicina) solicitam esses professores em caráter emergencial. O acordo com a reitoria era que as vagas saíssem para todos juntos e como podemos ver, mais uma vez temos um acordo não cumprido", afirma os alunos do curso de Artes Cênicas. "Foi decidido por paralização, até atenderem essa necessidade do curso", pontua outro manifestante.  

De acordo com as informações enviadas ao site MS Notícias, o edital público foi aberto para contratação de professores apenas para o curso de Medicina na mesma unidade, “Nós precisamos desses professores, pois esse ano o curso será avaliado, precisamos de uma boa nota”, disse outra manifestante. De acordo com o entendimento, os alunos abriram mão de parte de suas férias, para repor as aulas que serão usadas para manifestação. No vídeo abaixo veja na íntegra parte do manifesto realizado em uma assembleia geral para os alunos:

O site entrou em contato com a UEMS através de sua assessoria, que informou por meio de nota, que a abreviação para contratação de professores para o curso de medicina se deu por pela dificuldade na contratação de professores temporários para suprir necessidades imediatas do curso. De acordo com a pró-reitoria de Ensino da Universidade já foram realizados consecutivos processos eletivos para contratação de professores temporários, mas em nenhum deles foi possível atender a demanda para contratação de profissionais habilitados a assumir a docência no Curso.

Os alunos destacam que o tal processo para suprir a demanda dos cursos solicitantes, tais como Artes Cênicas, não foram realizados, dando assim o entendimento de que há um privilégio ao curso de Medicina.  

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews