Tero Queiroz | 11 de setembro de 2018 - 11h37

Construção de megaindústria em Dourados envolve 107 empresas e 1.500 trabalhadores

"O investimento global é de R$ 700 milhões"

A construção da megaindústria da Coamo (Cooperativa Agroindustrial) em Dourados é uma operação gigante que envolve diretamente 107 empresas fornecedoras de materiais e equipamentos e o trabalho de 1,5 mil pessoas. O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, visitou o canteiro de obras na manhã desta segunda-feira (10) e ficou impressionado com a dimensão do empreendimento.

“Nunca tinha visto nada parecido. É uma vitória do empreendedorismo e coroa o esforço do governo para diversificar a economia atraindo indústrias de processamento, gerando emprego e agregando valor a nossa matéria prima.” Pelo menos 450 pessoas serão empregadas após a empresa entrar em funcionamento.

A Coamo está instalando em Dourados uma indústria de refino e engarrafamento de óleo de soja e uma indústria de esmagamento e produção de farelo para ração animal, aproveitando subproduto da primeira. Todos os números dali são grandiosos. A capacidade de processamento da indústria de esmagamento é de 3 mil toneladas de soja por dia, enquanto a produção de óleo é de 720 toneladas/dia.

Foto: Divulgação/Assessoria 

O secretário e o superintendente industrial do grupo, Divaldo Corrêa, diretores e assessores, percorreram as várias obras que se levantam na área de 60 hectares nas margens da BR-163, entre Dourados e Caarapó. O trabalho segue dentro do cronograma e está mantida a previsão de inaugurar a planta em agosto do próximo ano. O investimento global é de R$ 700 milhões.

Para se ter uma ideia da grandiosidade do empreendimento, o sistema de armazenamento de grãos tem capacidade para absorver a carga de 81 carretas bitrem por hora. A planta inclui um posto de combustível para abastecer exclusivamente os veículos próprios e uma potente subestação de energia elétrica instalada em ambiente fechado – a única nesse padrão em Mato Grosso do Sul – o que otimiza espaço.

Foto: Divulgação 

A Coamo tem outras 8 indústrias próprias no Paraná e uma arrendada. Em Mato Grosso do Sul a cooperativa possui 13 entrepostos para compra e armazenamento de grãos. Fundada em 1970 por um grupo de agricultores paranaenses, a Coamo conta com 118 unidades localizadas em 68 municípios dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, para recebimento da produção agrícola de mais de 28 mil associados, e oferece empregos para mais de 7.300 pessoas. (Com assessoria). 

 
Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews